7 de maio de 2017

Lição 06

JÔNATAS, UM EXEMPLO DE LEALDADE
                   Texto Áureo I Sm. 18..3  – Leitura Bíblica  I Sm. 18.3,4; 19.1,2; 20.8-32



Prof. Ev. José Roberto A. Barbosa
Twitter: @subsidioEBD

INTRODUÇÃO
Lealdade é uma qualidade cada vez mais escassa na sociedade individualista na qual vivemos. Por isso, na aula de hoje, estudaremos a respeito de Jônatas, o filho do primeiro rei de Israel, como um exemplo de lealdade a ser seguido. Aprenderemos que a amizade genuína e sincera deve ser cultivada, principalmente nos momentos de adversidades. Destacaremos, nesta lição, as qualidades de Jônatas, sua coragem, humildade e lealdade.

1. JÔNATAS, O FILHO DE SAUL
Jônatas foi o filho primogênito do primeiro rei de Israel, Saul. Ao invés de seguir o exemplo do pai, que começou servindo ao Senhor, mas depois se distanciou dEle, Jônatas percebeu, desde cedo, que seria preciso aprender a identificar a vontade de Deus. Seu nome, em hebraico, significa “dado por Deus” ou “presente de Deus”. Ainda jovem, começou a batalhar pelo exército de Israel, a fim de defende-lo das ameaças dos inimigos, especialmente dos filisteus. Em I Sm. 14.1-14, há um registro da bravura deve homem de Deus, que lutou, apenas com seu escudeiro, contra os filisteus em Micmás. Isso mostra que ele sabia como lutar, e o valor das habilidades na guerra, por isso ficou impressionado com a desenvoltura de Davi, o jovem pastor de rebanhos, que lutou contra o gigante Golias (I Sm. 17.1-3). Aquele gigante filisteu afrontou o exército do Deus Vivo, e nenhum entre os soldados teve coragem suficiente para enfrenta-lo. Davi, ao chegar naquele campo de batalha, percebeu a humilhação pela qual o povo de Deus estava passando, e se dispôs a lutar contra o inimigo. A armadura de Saul lhe foi oferecida, mas essa não serviu para ele, certamente porque estava preparado com as armas que Deus havia lhe dado. Ele usou apenas sua funda, e com uma pedra certeira, acertou a cabeça do gigante, que veio por terra, sendo decapitado pelo próprio Davi, como troféu. O povo de Israel ficou deslumbrado com a coragem daquele jovem, Jônatas reconheceu, por meio daquele ato heroico, que Deus tinha um plano na vida de Davi.

2. UM EXEMPLO DE LEALDADE
Desde então, Jônatas decidiu ser leal a Davi, isso mesmo, a lealdade é um ato de decisão, não apenas de sentimento. Uma pessoa leal, de acordo com a definição dicionarizada, é alguém que tem probidade, isto é, que honra com seus compromissos, que não se distancia dos seus princípios. Essa é a uma qualidade cada vez mais rara na sociedade contemporânea, as pessoas se tornam volúveis diante das ofertas que se apresentam. A amizade, em uma conjuntura na qual as pessoas apenas veem interesses pessoais, está cada vez mais difícil. Há quem tenha cinco mil amigos nas redes sociais, mas não possa contar cinco nos dedos das mãos. Existem várias passagens bíblicas no livro de Provérbios que ressaltam a importância da amizade. O autor ressalta que o amigo ama em todos os momentos, é um irmão na adversidade (Pv. 17.17). Existe casos em que há amigos que são mais achegados do que um irmão de sangue (Pv. 18. E mais, que quem fere por amor mostra lealdade, mas o inimigo multiplica beijos (Pv. 27.5-6). Davi e Jônatas foram verdadeiros amigos. O narrador bíblico declara a respeito dessa amizade que “sucedeu que, acabando ele de falar com Saul, a alma de Jônatas se ligou com a alma de Davi; e Jônatas o amou com à sua própria alma” (II Sm. 18.1,3,4). Como demonstração de uma aliança entre eles, Jônatas entregou a suas vestes e equipamentos de combate a Davi (I Sm. 18.3,4). Por ocasião da morte de Jônatas, na batalha com seu pai Saul, Davi declarou que o amor daquele ultrapassava o das mulheres (II Sm. 1.26). Há quem queira comprovar, através dessas passagens, que existia um relacionamento homoafetivo entre Davi e Jônatas. Mas não há qualquer comprovação exegética a esse respeito, considerando que essa era uma prática considerada pecaminosa em Israel (Lv.  18.22; 20.13). Além disso, os termos hebraicos usados em tais passagens não fazem alusão ao ato sexual, mas a um relacionamento amigável, com demonstração de lealdade.

3. A SER SEGUIDO POR NÓS HOJE
A lealdade de Jônatas a Davi é um exemplo a ser seguido, especialmente no contexto do individualismo contemporâneo. Mesmo sendo o príncipe de Israel, o provável sucessor do trono, filho do rei Saul, Jônatas demonstrou ser humilde, e soube reconhecer os desígnios de Deus para a vida de Davi (I Sm. 16.1,12,13). Existem muitas desavenças no meio evangélico, até mesmo entre os obreiros, por causa da disputa por cargos e posições. A política partidária, bem como a eclesiástica, atrapalha mais do que ajuda a igreja e a sociedade. Os políticos, em sua vasta maioria, pensam apenas neles mesmos, não estão interessados no bem-estar da população. Dentro das igrejas, há pessoas que querem apenas obter posição, a fim de tirarem algum proveito material. Pastores se digladiam nos tribunais, servindo de escândalo aos descrentes, buscando posição e benefícios financeiros. Precisamos cultivar a humildade, não se deixa levar por aquilo que Paulo denominou de “torpe ganância” (I Tm. 6.6). A lealdade não deve ser um fim para se conseguir atingir algum interesse particular. Jônatas, ao advertir Davi, a respeito dos riscos que corria, por causa das ameaças de Saul, estava cumprindo um desígnio de Deus, para o bem do povo de Israel (I Sm. 19.1-3; 20.11-17; 32.33). Precisamos aprender a cultivar a lealdade, sobretudo a Deus, a quem deveremos prestar contas no final. Nosso maior compromisso é com Ele, quem nos aprova na vida e no ministério (II Tm. 2.15). Como consequência, devemos ser leais ao próximo, buscar construir amizades duradouras, pautadas na lealdade.

CONCLUSÃO
Jônatas é um exemplo bíblico de lealdade, a ser seguido por todos aqueles que servem ao Senhor. Ele foi um amigo leal, alguém que reconheceu o propósito de Deus na vida de Davi, e por isso, se dispôs a servi-lo. Devemos ter esse mesmo sentimento, sabendo que nosso maior exemplo de lealdade continua sendo Jesus, pois Ele é o amigo que nos encontrou, perdoou os nossos pecados, e nos compreende, em todas as circunstâncias. Como diz o hino sacro: “achei um bom amigo, Jesus o Salvador, o escolhido dos milhares para mim”.

BIBLIOGRAFIA
LIMA, E. R. de. O caráter do cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2017.
WEIRSBE, W. W. Be successful: 1 Samuel. Colorado Springs: David C. Cook, 2010.