24 de maio de 2017

Lição 09

HULDA, A MULHER QUE ESTAVA NO LUGAR CERTO
Texto Áureo II Cr. 34.24  – Leitura Bíblica: II Cr. 34.22-28


Prof. Ev. José Roberto A. Barbosa
Twitter: @subsidioEBD

INTRODUÇÃO
Na aula de hoje estudaremos a respeito de mais uma mulher da Bíblia, desta feita a profetiza Hulda. Essa será uma oportunidade para destacar a atuação feminina direcionada por Deus, principalmente quando a pessoa que Ele escolhe se encontra no lugar certo. Inicialmente apresentaremos algumas informações a respeito dessa mulher; em seguida, sua contribuição para o avivamento espiritual em Judá. E por fim, destacaremos como Hulda foi usada por Deus, e se tornou um instrumento para que o povo se voltasse para o Deus que o escolheu.

1. HULDA, UMA MULHER DE DEUS
Hulda foi uma daquelas mulheres de Deus que demonstrou caráter firme, principalmente em tempos difíceis, quando o povo havia se desviado dos caminhos do Senhor. De acordo com o relato bíblico ela era esposa de Salum, filho de Tocate, que era guardador das vestimentas, e habitava Jerusalém (II Rs. 22.14). Ela é comumente conhecida como uma profetiza, ou seja, uma mulher que recebia os oráculos de Deus. Hulda testemunhou a ascensão e a queda do reino de Ezequias, bem como a decadência de Judá, nos tempos tumultuados de Manassés e Amom (II Cr. 33.11-25). Hulda foi colocada por Deus no cenário judaico entre os anos de 639 a 609 a. C., a fim de tornar conhecido o desígnio do Senhor. Nesse período foi levantado um jovem rei, denominado Josias, que foi usado para favorecer um grande avivamento. É válido destacar que Hulda foi contemporânea de Jeremias, mesmo assim, Josias enviou emissários a Hulda, para que essa revelasse o propósito de Deus. A atuação de Hulda como profetiza em Israel é uma demonstração de que Deus, mesmo em uma sociedade patriarcal, como aquela dos tempos antigos, usava mulheres para cumprir seus intentos. Destacamos que antes de Hulda, Miriã profetizou (Ex. 15.20). Hulda teve papel preponderante no avivamento de uma nação, chamando a atenção do povo para seu pecado, e a necessidade de arrependimento. Deus tem levantado muitas mulheres para o ministério eclesiástico. Mulheres de oração, e do ensino da palavra, têm cumprido uma missão no reino de Deus, foi assim desde o princípio da Igreja. É bem verdade que não há respaldo explícito na Bíblia para o pastorado feminino, mas isso não quer dizer que as mulheres não podem ser usadas por Deus, como tem acontecido nas Escolas Bíblicas Dominicais.

2. HULDA, UM CHAMADO PARA O AVIVAMENTO
Ao receber a consulta do rei Josias, Hulda trouxe uma mensagem contundente, a fim de que o povo se voltasse para Deus. Ele profetizou a respeito da destruição da destruição de Judá por causa da idolatria (II Rs. 22.14-17). Em seguida, antecipou a restauração do reinado de Josias (II Rs. 22.28-20), e que esse seria um instrumento de Deus, para a instauração de um avivamento espiritual em Judá. É digno de destaque que as autoridades se dirigiram até essa profetiza para saber o que Deus haveria de realizar em Judá. Como mensageira de Deus, declarou: “Assim diz o Senhor, Deus de Israel: Dizei ao homem que você enviou a mim: Assim diz o Senhor: Eis que trarei mal sobre este lugar e sobre os seus habitantes (II Cr. 34.23). Certamente se referia aos tempos futuros, nos quais o povo seria levado para a Babilônia, que aconteceu por volta de 586 a. C. A respeito do ministério profético de Hulda, é preciso ponderar que esse não dá margem para uma atuação profética da mesma natureza nos dias atuais. Não existe mais profetas e profetizas nos moldes do Antigo Testamento. Aqueles traziam uma mensagem diretamente de Deus, expresso na declaração “Assim diz o Senhor”. Na atualidade dispomos do dom de profecia, que está à disposição de toda a igreja (I Co. 12.7). E essa precisa ser avaliada à luz das Sagradas Escrituras, não tendo mais a prerrogativa de ser infalível (I Co. 14.29). A Palavra de Deus é o crivo para o dom de profecia nos dias atuais, e esse deve ser exercido na Igreja, a fim de evitar os excessos que temos testemunhado em alguns arraiais evangélicos.

3. HULDA, NO LUGAR ESCOLHIDO POR DEUS
Hulda foi usada por Deus naquele momento crucial para a história do povo judeu. Ela percebeu como Josias, o rei de Judá, se dobrou diante da Lei do Senhor, reconhecendo o perigo de se encontrar distante da vontade de Deus. Após ouvir a mensagem profética, o rei convocou toda a nação para a mudança, a começar pela liderança. É importante destacar que não nos encontramos mais debaixo de uma monarquia. Por isso, não podemos esperar que o avivamento aconteça por ordem de um governante. Em tese o estado é laico, e o sistema é democrático, portanto, o povo escolhe seus governantes. O avivamento, no contexto neotestamentário, deve partir da igreja, que deve influenciar o mundo, sendo sal e luz (Mt. 5.13-16). O exemplo de Josias, nesse contexto, deve ser seguido pela igreja, que deve se dobrar diante da Palavra do Senhor: “e ele leu aos ouvidos deles todas as palavras do livro do concerto, que se tinha achado na Casa do Senhor” (II Cr. 34.30). Não existe verdadeiro avivamento sem a exposição das Sagradas Escrituras, é através dela que o povo se envergonha dos seus pecados, como aconteceu nos tempos de Esdras e Neemias (Ne. 8.2). No contexto daquela monarquia teocrática, o rei deu o exemplo: “E pôs-se o rei em pé em seu lugar e fez concerto perante o Senhor [...] com todo o seu coração e com toda a sua alma, cumprindo as palavras do concerto, que estão escritas naquele livro (II Cr. 34.31). E o povo seguiu seu exemplo, pois “todos quantos se acharam em Jerusalém e em Benjamim; e os habitantes de Jerusalém fizeram conforme o concerto de Deus, do Deus de seus pais”. (II Cr. 34.32). A liderança cristã deve ser um exemplo para seus liderados, e um modelo para toda a igreja.  

CONCLUSÃO
Hulda foi uma mulher usada por Deus no ministério profético, e contribuiu para levar seu povo ao avivamento através da Palavra. Nos dias atuais o mesmo Deus tem chamado mulheres valorosas para o ministério do ensino, algumas delas também sendo instrumentos de Deus no dom de profecia. Como Hulda, devemos nos colocar na disposição de Deus, e nos aprofundar na Sua Palavra, para que possamos manifestar os desígnios de Deus, nestes tempos tão trabalhosos.

BIBLIOGRAFIA
LIMA, E. R. de. O caráter do cristão. Rio de Janeiro: CPAD, 2017.
WEIRSBE, W. W. Be distinct: 2 Kings & 2 Chronicles. Colorado Springs: David C. Cook, 2010.